Laboratório de Electroanálise e Corrosão

 Instituto Pedro Nunes

A corrosão metálica ocorre devido ao contacto de metais com líquidos e soluções, provocando a libertação de iões metálicos.

Fragiliza e provoca  desgaste nos metais, criando  percas de rendimento e constituindo possíveis  fontes de poluição. 

Industrialmente a técnica mais usada na verificação da taxa de corrosão metálica são os ensaios realizados em câmaras de nevoeiro salino.

Nos últimos tempos têm surgido evoluções relativamente a estes ensaios, especialmente nas industrias automóvel, naval e aeronaútica. 

As normas internacionais estão em evolução e dos tradicionais ensaios de nevoeiro salino (ASTM B117, ISO 9227), estão a evoluir para ensaios cíclicos nos quais se produzem variações de temperaturas pressões e humidades de forma cíclica e pré-programada.

Este Laboratório tem equipamento para a realização dos novos ensaios cíclicos de corrosão acelerada, com ou sem dióxido de enxofre, além dos tradicionais ensaios de nevoeiro salino.

O Laboratório efectua testes de nevoeiro salino segundo Normas Internacionais.

A conjugação destes ensaios com técnicas electroquímicas e de microscopia, permite diagnosticar e ajudar à  resolução dos problemas de corrosão em metais e ligas metálicas, provocados por ambientes marítimos ou salinos, produtos químicos etc.

A caracterização electroquímica e a análise de superfície por técnicas de microscopia, permitem recomendar estratégias a adoptar para a resolução dos problemas  de corrosão e sobre revestimentos, protecção electroquímica ou adição de inibidores.

Os testes de caracterização podem incluir: potencial em circuito aberto, registo de curvas de polarização, espectroscopia de impedância electroquímica, e microscopia.

O desenvolvimento de projectos internacionais de I&D, para superar e minimizar  problemas de contaminação ambiental e corrosão, tem sido desde sempre um dos elos de ligação deste Laboratório às Universidades e Indústrias do Espaço Europeu Comunitário.